quinta-feira, 12 de abril de 2007

A crença ateísta

Alguns ateus consideram que o ateísmo não é uma crença, que não é uma religião e que não possui uma doutrina a ser seguida.

Os ateu acreditam que Deus (Criador) não existe. Se trata de uma crença na não existência de Deus. O que os diferencia dos agnósticos, onde eles acreditam que o homem não tem a capacidade para conhecer o absoluto.

Então, vamos agora consultar um dicionário para saber com exatidão os significados dos termos em questão.

"Ateísmo: do Gr. a, não + Theós, Deus; s. m., doutrina que consiste na negação da existência de Deus; descrença."

Verificamos então que realmente o ateísmo é a descrença em divindades, no entanto, é uma "doutrina".

E o que é uma "doutrina"?

"Doutrina: do Lat. doctrina; s. f., conjunto de princípios básicos, fundamentais, de um sistema religioso, político ou filosófico; catequese cristã; opinião de autores; norma, regra, preceito."

Portanto, sendo uma doutrina filosófica, o ateísmo possui um conjunto de princípios básicos na qual os ateus acreditam. Logo, existe uma determinada crença filosófica (acreditar=crer).

E o que é uma "crença"?

"Crença: do Lat. credentia; s. f., fé, lei religiosa; convicção; pendor para certa pessoa, desejo amoroso; credencial, crédito diplomático; pop., desconfiança, birra."

Sendo o Ateísmo uma doutrina que consiste na negação da existência de Deus, com um conjunto de princípios filosóficos fundamentais, nos quais os ateus acreditam com convicção, julgo poder dizer que se trata de uma crença.

Genesis - forista Clube Cético

13 comentários:

lucas disse...

coco 2,50

lucas disse...

coco 2,50

lucas disse...

a cabra que fuma ratinho

lucas disse...

a cabra que fuma ratinho

Mari disse...

Só podia ser um babaca chamado Lucas [...]

E eu concordo totalmente com a explicação. Simples/

(;

pesquisadorteorico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pesquisadorteorico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pesquisadorteorico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pesquisadorteorico disse...

Concordo que o ateísmo seja uma crença. O ateísmo é tão crença como dizer que o sol nasce no oriente, que o fogo queima, que a fome mata, que quem escreveu estas linhas não foi o homem aranha. Crença é uma convicção e o facto de ser a negação de crenças não faz o ateísmo deixar de ser crença. Pode-se até dizer que um ateu seja fanático, porém, pode-se dizer o mesmo de quem dizer com convicção que eu não seja um extraterrestre que esteja estudando a humanidade. As crenças das várias religiões consistem em acreditar em seres nunca detectados pelos sentidos e de falar de um pressuposto outro mundo, o ateísmo não se enquadra nesse grupo. O ateu o é devido à sua opinião acerca de algo deste mundo: as histórias que as religiões contam acerca dos outros mundos.
O que o ateísmo não é, é uma doutrina. A definição que segundo você está num dicionário se referindo à palavra doutrina é: conjunto de princípios em que se baseia uma religião, um sistema político ou filosófico (esta é a parte que interessa). Uma coisa diferente é crença. Lembra, de acordo com a definição do dicionário doutrina é um conjunto de princípios, não um princípio. Uma crença pode ser um princípio de uma doutrina. Existe um único deus é um princípio, a raça ariana é superior às outras é outro princípio. Mais exemplos de crenças que são ou podem ser princípios de doutrinas são: Mohamad é um profeta do deus único, a civilização europeia é superior às outras, o trabalho dignifica o homem, o estudo e a interpretação lógica da natureza conduzem ao desenvolvimento duma sociedade, não se deve fazer aos outros o que não se gosta que se faça a si e DEUS NÃO EXISTE.
De facto, a definição do dicionário de que ateísmo é a doutrina dos ateus é falsa e é contrariada pela definição de doutrina. O ateísmo contém um único princípio, ou seja é aquele princípio e nada mais. E mais, uma pessoa religiosa para se tornar ateia não tem necessariamente que ser influenciada por pensadores ateus, ela não tem que ser doutrinada. Isto é impossível em doutrinas. Ninguém pode se tornar cristã sem ser influenciados por cristãos, ninguém pode se tornar comunista sem ser influenciado por comunistas; porém; pode adquirir princípios cristãos ou comunistas sem a influência de pessoas que já tenham aqueles princípios. É fácil de acreditar que alguém acredite na vida depois da morte sem ser influenciado por outro que já tenha esta crença, ou que alguém acredite que a terra não deve ter dono sem ter influências comunistas ou de outra doutrina que já tenha esta crença. Existem ateus com maior capacidade de argumentação que outros e que discursam melhor, principalmente se forem mais instruídos. Existem até ateus que não sabem o significado da palavra ateísmo, porém, é um absurdo se falar de ateus que entendem melhor a pressuposta doutrina ateia que outros. A partir do momento que uma pessoa é ateia nenhum outro ateu sabe mais do que ela acerca do ateísmo, (no ponto de vista que um sacerdote sabe mais do que um leigo acerca de uma determinada religião).
Concluindo, o ateísmo é uma crença não acerca de algum outro mundo mas deste e não é uma doutrina.
P.S. Falo porque sou ateu.

Marcelo Joi disse...

Se eu te perguntar porque é ateu, vai me dar uma série de motivos. Não simplesmente afirmar que não acredita e ponto final. Logo, é uma doutrina.

Marcelo Joi disse...

Se eu te perguntar porque é ateu, vai me dar uma série de motivos. Não simplesmente afirmar que não acredita e ponto final. Logo, é uma doutrina.

Janus disse...

O ateísmo é uma crença?! Sério?!

Ausência do vício de fumar é também um vício/hábito?!
Não praticar o desporto de futebol é uma prática de desporto?!


Teísmo é a CRENÇA na existência de deus(es). Qual é o critério de validação dessa crença? FÉ. Asserção de conhecimento sem evidência.

Ateísmo é simplesmente uma posição relativamente ao teísmo. É precisamente a ausência da CRENÇA na existência de deus(es). Qual é o critério de ausência dessa crença? Falta de evidência para a sua existência.


O ateísmo não asserta conhecimento sobre a realidade objetiva da inexistência de deus(es). Simplesmente não é razoável, como em todos os domínios da vida, assumir realidades objetivas sem evidência.


Por favor, não me venham com esse clichê demasiado gasto: A ausência de evidência não é sinónimo de ausência. Porque a falta de evidência para a não existência não é prova de existência seja do que for.


Quanto à doutrina que o Marcelo Joi refere e a série de motivos, não é uma série, apenas um motivo: falta de evidência. Não é uma doutrina, é uma posição razoável por defeito não assumir/estabelecer conhecimento objetivo sobre a realidade apriori sem evidência à posteriori. Isso é pura especulação e racionalismo.
O ateísmo não traz na bagagem qualquer espécie ideológica, preceitos, conceitos, regras, normas sociais, ou livros escritos por pessoas mais ignorantes na idade do bronze que nem sabiam que a terra era redonda e que a terra girava à volta do sol.


Vocês são ateus de Brahma, o criador do Universo? Se sim, qual é o critério vos leva a essa posição? Uma doutrina com uma série de motivos?


Annie Silveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.