quarta-feira, 23 de maio de 2007

Barão de Holbach

Paul Henri Thiery, Barão de Holbach (1723-1789)

Holbach era Alemão por nascimento (Paul Heinrich Dietrich) e educação, mas francês por acaso (herdou o dinheiro, titulo e propriedades do seu tio). As propriedades de Holbach eram um ponto de encontro para pensadores radicais franceses (os filósofos) do final do século 18. Era um ateísta, um determinista, e um materialista: o universo é um sistema complexo de substâncias fisicas organizadas de acordo com leis mecanicistas de causa e efeito, mais do que desenhado por Deus (o ponto de vista dos seus conterrâneos, embora não o dos filósofos).

Holbach era um oponente da monarquia absoluta, da religião do estado e dos privilégios feudais. Pode ser descrito como um dos intelectuais mais radicais do seu tempo. Escreveu livros cujas ideias radicais o obrigaram a publicá-los na Holanda sem o seu nome na capa. O seu trabalho mais famoso é o O Sistema da Natureza (1770). Um breve relato do seu materialismo ateu foi publicado em 1772: Bom (ou Comum) Senso, ou Ideias Naturais vs. Ideias Sobrenaturais.

Holbach tentou provar com a sua vida que se podia ser virtuoso e ateu, contrariamente à ideia comum no seu tempo. Rousseau, que não gostava de Holbach, usou-o como modelo do "virtuoso não-crente" em alguma da sua ficção. Holbach defende que o ateismo é um pré-requisito para qualquer teoria ética válida. A Religião, para ele, é baseada em dogmas e rituais inuteis e sem sentido, donde a ética se deve basear na utilidade social e na cooperação humana.

O que é mais perplexo em Holbach é que viveu com dois principios aparentemente inconsistentes, pois foi determinista e reformador social. Acreditava que os seres humanos não eram especiais no sentido de terem almas ou livre arbítrio. Somos parte da Natureza e as nossas escolhas e desejos são tão determinadas por leis de causa e efeito como o movimento dos planetas. Mesmo assim, devotou-se a tentar fazer um mundo melhor libertando-o de instituições injustas e degradantes como a Igreja e a Monarquia Absoluta.


http://www.cetico.hpg.com.br/holbach.html

8 comentários:

Bruno R.Ramos -Escritor disse...

Oi Adriano,
Estou a e pedir permissão para postar seu texto em meu blog "Contos das Almas". Pensei em inserir artigos ateístas junto às minhas publicações. É claro que citarei a fonte e o autor. Se voc~e se interessar. Lembro-lhe que já linkei o seu blog ao meu. Parabéns pelos escritos. Aguardo retorno.

Bruno Resende Ramos

Adriano disse...

Os meus textos são os que marcados com a tag opinião, os demais estão com o nome do autor e o link original no fim da postagem.

Bruno R.Ramos disse...

Obrigado pela dica!

dipons disse...

Boa noite,

Amigo,voce nao sabe o que esta dizendo..Voce nao sabe de nada..
A ciencia nao pode provar que Deus existe,mas tambem nao pode provar que Ele nao existe..Isso é um assunto relacionado a filosofia,e esta possui provas necessarias,porem nao suficientes para a existencia Dele...mas voce e nem ninguem pode afirmar que Deus nao existe..espero sua resposta amigo..meu imail e allonso_alemdoseuentendimento@hotmail.com

Geraldo disse...

Boa tarde...

Não concordo com o argumento de ainda não se provou a inexistência de deus.
Penso que Freud demonstrou fartamente que a idéia de Deus provém de conteúdos inconscientes relativos ao complexo de édipo e a neurose provocada pelo desamparo infantil em relação à figura paterna, que continua na maturidade com a projeção (já que não há mais o pai) em deuses (muito mais poderosos que o pai). De outro lado, a maturidade não será completada se tal neurose não for superada, ficando-se em estado infantil.
Nesse sentido penso que a inexistência de deus está demonstrada.

ANANIAS disse...

em primeiro lugar,boa noite a todos.Gostaria de dizer que tudo o que foi dito é importante por que na muitidão de conselheiros é que reside a sabedoria e não poderia eu depois de ler este site deixar aqui a minha contribuição.Segura que é pesado.Lavai!Aultima coisa que a ciencia queria era ser associada a religião.Um exemplo é o que a fisica quantica acabou de descobrir é que existem fenomenos que acontecem o tempo todo e que podem ser experimentado porem, não podem ser vistos ou explicados(seriam esses fenomenos milagres?).Uma outra coisa que eu achei interessante e por incrivel que pareça esclarecedor é que não existe la fora, LÁ FORA, INDEPENDENTE DO QUE ACONTECE DENTRO DO NOSSA MENTE,E SE NOS ESTUDARMOS TUDO ISSO E DISSERMOS QUE ENTENDEMOS TUDO É PQ NÃO ENTENDEMOS NADA.Esclarecedor não?Diante deste esposto tenho uma coisa a afirmar DEUS EXISTE SIM QUER NOS QUEIRAMO QUER NÃO QUEIRAMOS.um forte abraço Deus abençoa( veja a conjugação do verbo)a todos. amigo da sabedoria

MM disse...

Larguem de falar bobeiras e vão estudar português.

Aliás, eu não vejo nem sinto o vento. Não acredito no ar.

Mas acredito em Scarlamapontelas.

Boêmio Gotardo disse...

Então me provem que papai noel não existe, o coelhinho da páscoa também.Vão catar coquinho malditos teístas.